logo
 

A Zona de Conforto não é um sofá fofinho!

Posted · Adicionar Comentário

Com certeza você já conhece esse termo: zona de conforto…

Fofinho esse sofazinho, né?

Só que não! ‪#‎sqn‬

A famosa zona de conforto

A famosa zona de conforto se caracteriza por uma série de pensamentos, crenças e comportamentos que fazem parte do funcionamento de determinada pessoa, aos quais ela se acostuma e passa a funcionar dentro de limites “confortáveis”, limitando sua ação até onde se sente “segura”, longe de riscos e conflitos. Onde, sobretudo ela mantém o “controle”. A pessoa passa então a viver dentro desses limites, dessa zona delimitada, que parece ser tão tranquila e até “confortável”, uma vez que é muito mais tranquilo lidar somente com o conhecido.

Acontece que muitas vezes essa zona confortável opera em limites apertados, rígidos e que diminuem muito o repertório de atuação de uma pessoa saudável. Ela passa a funcionar muito aquém de suas capacidades e potenciais.

E com o tempo, com as perdas percebidas, com as oportunidades não aproveitadas, esse sofá fofinho, passa a também trazer sofrimento. A “segurança” e o “controle” são colocados em cheque!

Por que as pessoas nos dizem que devemos sair da zona de conforto?

Justamente por isso, esse sofá “fofinho” também é lugar de sofrimento. O “controle” e a “segurança” são falsos, são abalados por qualquer situação que fuja do esperado. E dentro dessa zona, não há crescimento!

Crescer é lidar com o novo, com o diferente! É trabalhar com seus limites, e ampliar suas fronteiras e possibilidades!

Mas… o novo dá medo! Ah… como dá medo! E dá medo mesmo!

A sensação é de olhar precipício abaixo! E a coragem, de encarar o novo?

Vencendo o medo e tomando coragem

Quer uma dica? Olhe pra trás, namore a zona de conforto, veja o quanto ela é confortável mas perceba também quais limitações e sofrimentos ela traz. E sabe essa mesma energia que você usa para se manter aí? Dê uma nova direção a ela!

Aventure-se! Se der medo, vai com medo mesmo! Não estou dizendo pra você pular do precipício, sem segurança nenhuma! Se der, faça um bungeejump!rs E se isso for muito pra você, apenas tome coragem de dar um primeiro passo e experimentar novas coisas… Dê uma chance ao novo na sua vida. Ao inesperado. À aceitação do que é, desapegue-se dessa necessidade louca de controle de tudo e de todos.

E assim, acredito que seja possível experimentar, de verdade, e sem aspas, o verdadeiro controle sobre sua vida (esse é um super-poder!) e também a segurança de ser você mesmo, num funcionamento mais leve, flexível e saudável!

Com carinho,

Ludmila Venturoli

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.